Poemas sobre águas

 Sereias e Navegantes

Aquelas horas à deriva em tempestade no mar

Sem uma enseada, uma pedra, somente a relva do mar

Os corais eram azuis e um barco desancorado vogava à mercê do mar

Nadavam ali sereias, como luzes delirantes cantavam a morte no mar

Marinheiros se encantaram, se perderam, enlouqueceram nas águas daquele mar

Viam cosmos que nasciam nos olhos vindos das águas no envolto do groso mar

Havia ainda lembranças de outros mares, de lonjuras, mas ali ventos em fúria

rompiam velas ao mar

Naufragaram os navegantes, o barco foi afundando e foi indo na corrente ao fundo

do bravo mar

Marinheiros eram tantos nascidos pra navegar, calaram luas de águas, dias de porto

e milhas de mar

Foi-se ali suas venturas balindo aos sinos cantantes do aconchego do mar

Havia a grande miragem dos desterrados no mar

Cantavam mais as sereias o canto mavioso da espera do mar

Marinheiros ouviam cantos de céus e amarrados aos mastros afundavam no mar.

2 respostas para Poemas sobre águas

  1. I like this poem very much,
    but now I must study portuguese… I know spanish but is really different 😀
    thank you for follow my blog
    at soon

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s