A matéria by Hang ferrero

MasticadoresBrasil

Poesia é a força motriz de todas as coisas. Vê?

Ver o post original

Sobre Poeta da Garrafa

Sou o Poeta da Garrafa. Odilon Machado de Lourenço nascido no pampa, ventado em minuanos, procurador de esmos e lonjuras. O que busca caminhos e olhos, palavras e sonhos. O que segue no claro do sol e da lua, o que navega e silencia à beleza. O que lavra a terra, águas e céu, plantador de passos, horizontes, sementes de amor e ternura. O que vai a colher miragens, tomar sombras, redemoinhar sem leme. Sou a distância dos dias e das noites que andam comigo contemplando o mundo. Sou brumas revoadas pelo som das auroras, amanhecido de velhas histórias e delírios. O veio, o nascedouro de uma loucura, mas sou sublime se contemplares meus olhos e ouvir meus sentidos. Sou folheador de paisagens, miscigenado brasileiro da Latino América, ouvidor de marulhos e brisas, caçador de estrelas. Olhador de fogueiras, enritmado de blues, samba e versos. Sou uma deriva com porto.
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

8 respostas para A matéria by Hang ferrero

  1. niasunset disse:

    I wished to understand… He is talking about poetry? Isn’t it?

    • Hi Nia!
      I would like to be able to translate the meaning of the text for you.
      Yes, he is reciting a beautiful poem.
      Grateful to be here.

      • niasunset disse:

        Thank you dear Poet, Love, nia

      • a matéria

        bendito seja o poema físico-químico.
        assim, não me sobram as injúrias dos senhores literais:
        [abissal sê tranverso ao latifúndio solar]
        bendita seja a minha sede pós jornada.
        sejam os poemas, só poemas; sou todo ouvidos
        quais sejam os seus malditos autores, não me importa!
        tragam-me palavrões que ricocheteiem
        nas bochechas iluminadas da gula
        que seja pro espanto da noite tais palavras
        sacripantas! oferto-lhes odes dionísicas
        pra que eu mesmo possa, na vossa acídia
        impedir os vermes de destruir seus corpos
        enquanto a minha alquimia transforma sua loucura
        e separa tudo, e das suas partículas,
        eu possa soprar espumas e seus poemas;
        vida longa e bendita aos seus poemas
        quero minha fome aplacada por uma lambida
        de fonte inesperada e maldita
        pra que continue sendo o que de fato enseja
        e que insista sempre em ser: sede e fome e paixão
        que seus escritos pleiteem a coroa, pra derrubar
        os muros e debulhar o cetro e enternecer a
        camponesa e devolver-lhe o filho e tirar-lhe a guerra
        bendito e eterno seja o meu rompante quixotesco
        por seus poemas

        school subjects

        blessed be the physical-chemical poem.
        thus, I am not left with the insults of the literal lords:
        [abyssal be transverse to the solar latifundio]
        blessed be my post-journey thirst.
        be it poems, just poems; I’m all ears
        whoever their damn authors are, I don’t care!
        bring me bad words that ricochet
        on the glowing cheeks of gluttony
        let it be to the astonishment of the night such words
        sacripantas! I offer them Dionysic odes
        so that I can, in your acedia
        prevent worms from destroying their bodies
        while my alchemy transforms your madness
        and separates everything, and its particles,
        I can blow foam and its poems;
        long and blessed life to your poems
        I want my hunger appeased by a lick
        unexpected and damn source
        so that it continues to be what it really entails
        and who always insist on being: thirst and hunger and passion
        that your writings claim the crown, to overthrow
        the walls and thrash the scepter and soften the
        peasant woman and return her son and take away the war
        blessed and eternal be my breakthrough quixotic
        for your poems

  2. niasunset disse:

    Dear Poet, how nice of you, Thank you so much. Tomorrow I will read and come back again, I have just seen this, Stay Safe, Love, nia

  3. niasunset disse:

    The most difficult translationy is poetry, I know this. But you really want to know what it says… Of course not everything but from you, because you are a nice poet, even I can follow only from your translation versions… I can’t imagine how beautiful to read in its own language… By the way poetry in your own language (even in songs too) has a wonderful melodical sound… it is so nice to listen to a poem in your language. Poetry is a voice journey, at the beginning and never changed I think… Anyway, I loved this poem, expressions are so nice… This should be great love, love in poetry. Thank you dear Poet, Stay safe and have a nice day, Love, nia

    • Caríssima Nia, meu amigo Hang Ferrero pediu que lhe agradecesse pelas palavras. O tanto de carinho e respeito pela poesia e canções brasileiras.
      Gratidão por sua sensibilidade.
      Dearest Nia, my friend Hang Ferrero asked me to thank you for the words. The amount of affection and respect for Brazilian poetry and songs.
      Gratitude for your sensitivity.

  4. niasunset disse:

    obrigado por vocês dois, Love, nia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s