O gênio do celular – Por Chilo

MasticadoresBrasil Editora: Miriam Costa

IMG-20200601-WA0061~2
O gênio do celular

Quando o gênio surgiu fora da tela
Uma estranha fumaça formou uma imagem
Delineada por diferentes tons de cores
Aos poucos via-se o contorno da metade de um homem
Dizia-se ser o gênio do celular
Não perguntou nada, apenas disse:
O futuro vai saindo em palavras
O futuro vai saindo do seu cérebro
O futuro são seus gestos, faça-os com amor
De repente dissipou-se como luz apagada
E cá no âmago o futuro tinha flores perfumadas de um laranjal e os sons da fauna feliz
Beijos ardentes da mulher amada
Águas límpidas correndo para o mar.

Poema de Odilon Machado de Lourenço

Ver o post original

Sobre Poeta da Garrafa

Sou o Poeta da Garrafa. Odilon Machado de Lourenço nascido no pampa, ventado em minuanos, procurador de esmos e lonjuras. O que busca caminhos e olhos, palavras e sonhos. O que segue no claro do sol e da lua, o que navega e silencia à beleza. O que lavra a terra, águas e céu, plantador de passos, horizontes, sementes de amor e ternura. O que vai a colher miragens, tomar sombras, redemoinhar sem leme. Sou a distância dos dias e das noites que andam comigo contemplando o mundo. Sou brumas revoadas pelo som das auroras, amanhecido de velhas histórias e delírios. O veio, o nascedouro de uma loucura, mas sou sublime se contemplares meus olhos e ouvir meus sentidos. Sou folheador de paisagens, miscigenado brasileiro da Latino América, ouvidor de marulhos e brisas, caçador de estrelas. Olhador de fogueiras, enritmado de blues, samba e versos. Sou uma deriva com porto.
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

4 respostas para O gênio do celular – Por Chilo

  1. Daniela disse:

    molto bella Odilon, ni permetto di postarla sul mio blog nella traduzione che ho tentato in italiano. Grazie.

    IL GENIO DEL CELLULARE
    Quando il genio è uscito dallo schermo
    uno strano fumo ha formato un’immagine
    delineata da diverse sfumature di colore
    A poco a poco si distingueva il contorno di mezzo uomo
    diceva di essere il genio del cellulare
    non ha chiesto nulla, ha solo detto:
    Il futuro sta uscendo a parole
    Il futuro sta uscendo dal tuo cervello
    Il futuro sono i tuoi gesti, colmali d’amore
    Improvvisamente è svanito come una luce fioca
    in fondo il futuro aveva fiori profumati d’aranceto e suoni di fauna felice
    baci ardenti dalla donna amata
    acque limpide che corrono verso il mare.

  2. Pingback: Poesia di Odilon Machado de Lourenço (Poeta da Garrafa) – Il Canto delle Muse

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s