Desencontro

 

LAGOA II 073

Havia o claro da tarde escurecendo a noite

Era começo e fim

Havia chuva, frio, luzes acendiam…

Era começo e fim

Procurava seus olhos na imensa doçura do mundo

Os vãos eram destinos, menos um

Os pingos da chuva eram os lugares, menos um

Era um homem a procurar o mundo, menos um

E o mundo seu, maior que tudo, menos um

Busquei no aroma dos ventos seus cabelos de luz

Nas cafeterias sentia ver-te nas poltronas

E voltava um passo para ver se meus olhos não mentiam

O café veio com o desenho de seus lábios, sorriam nas lembranças

E seus dentes guardavam sua língua, sua aldeia escondida na selva

Bebi rápido para ver onde estavam seus sonhos

Onde estava você e onde estava eu – que estando em tudo, menos um

Senti cada endereço da metrópole visitar meus olhos, menos um

Saí de mim voando pelo mundo e olhei tanto, menos dois que eram os seus

E revirei os baús da memória para não ficar sem vê-la.

Anúncios

Sobre Poeta da Garrafa

Sou o Poeta da Garrafa. Odilon Machado de Lourenço nascido no pampa, ventado em minuanos, procurador de esmos e lonjuras. O que busca caminhos e olhos, palavras e sonhos. O que segue no claro do sol e da lua, o que navega e silencia à beleza. O que lavra a terra, águas e céu, plantador de passos, horizontes, sementes de amor e ternura. O que vai a colher miragens, tomar sombras, redemoinhar sem leme. Sou a distância dos dias e das noites que andam comigo contemplando o mundo. Sou brumas revoadas pelo som das auroras, amanhecido de velhas histórias e delírios. O veio, o nascedouro de uma loucura, mas sou sublime se contemplares meus olhos e ouvir meus sentidos. Sou folheador de paisagens, miscigenado brasileiro da Latino América, ouvidor de marulhos e brisas, caçador de estrelas. Olhador de fogueiras, enritmado de blues, samba e versos. Sou uma deriva com porto.
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

14 respostas para Desencontro

  1. niasunset disse:

    Beautiful, even in translation. Thank you, by the way when I read your about section, there is something, I couldn’t find what means, “ouvidor de marulhos e brisas”…. you are listener of what ? I wonder. Seems fishes… a kind of fish… is it correct? Should be a story behind this, I mean to be listener of them… Love, nia

    • Hello Nia!
      Glad to be here …
      The verse that you refer has the following meanings:
      Meaning of Marulho: Mild agitation of the waters of the sea, of permanent character, that produces a particular noise.
      Meaning of breeze: Gentle and fresh wind. (In this case I made a metaphor).
      Great day for you!

  2. Grateful for the words Nia. They instigate to continue writing poems.

  3. Purtroppo non la capisco bene, ma mi piace!

  4. Drika disse:

    Que lindo poeta! Boa noite!

  5. claricevillac disse:

    Que bom que temos mais um Poeta assim inspirado,
    a encantar os encontros invisíveis !
    Parabéns pelo poema !

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s