Resenha – Alameda Do Bosque Azul

       ALAMEDA DO BOSQUE AZUL 037

         Através de inspiração espiritual, a obra literária – Alameda Do Bosque Azul – do poeta, ator e escritor Deomídio Macêdo narra o encontro de dois personagens. Elton e Marta. Ambos se encontram nos corredores da Universidade O Caminho do Saber Científico e desde então desenrola-se o enredo.

          Um choque casual espalha livros pelo chão e promove o reencontro de espíritos que se reconhecem de outros caminhos. Entretanto, uma greve de docentes afasta novamente os personagens, que apesar de cursarem o mesmo curso – medicina – irão reencontrar-se somente dois anos depois do esbarrão, num corredor da instituição que frequentavam. Tal ausência ocorre devido a preparação para o encontro físico, segundo a Doutrina Espírita.

      No entanto, ao reencontrarem-se fisicamente, também se encontravam desdobrados do corpo físico, no plano espiritual. Ora volitavam ou eram conduzidos pelo aérobus para adentrarem a colônia espiritual, crescendo no amor e na paz, bem como desenvolvendo-se através do estudo da medicina.

            O entendimento da reencarnação é parte de sua missão. Assim como o socorro àqueles necessitados, que elevam em pensamentos as súplicas de fé em detrimento de algum pesar. Através da intervenção espiritual mentores ajudam diversos personagens em suas aflições. Num desses casos, um jovem atordoado pelos álcoois e os vampirescos espíritos que o dominam é ajudado pelos espíritos amigos e benfeitores. Os colaboradores espirituais adentram-se através do sonho, pedindo que o espírito atordoado cuide do corpo físico para libertar-se dos algozes.

            O texto corrobora que o propósito da reencarnação é melhorar no reencarnado o entendimento sobre o amor, nesse caso no romance, envolve existências anteriores, culminando com a representação da união matrimonial dos personagens. O texto ainda contempla, que a terra por onde caminhamos aceita e faz crescer as sementes, no entanto, colhemos da vida aquilo que plantamos.

            Elton e Marta farão jus à graça recebida. Exercitarão o bem e a paz, tanto nos trabalhos quotidianos de suas profissões, como no plano espiritual. Colherão os frutos dados para uma família e no decorrer do tempo, em algum momento, um dos dois abrirá a porta da Alameda do Bosque Azul.

Anúncios

Sobre Poeta da Garrafa

Sou o Poeta da Garrafa. Odilon Machado de Lourenço nascido no pampa, ventado em minuanos, procurador de esmos e lonjuras. O que busca caminhos e olhos, palavras e sonhos. O que segue no claro do sol e da lua, o que navega e silencia à beleza. O que lavra a terra, águas e céu, plantador de passos, horizontes, sementes de amor e ternura. O que vai a colher miragens, tomar sombras, redemoinhar sem leme. Sou a distância dos dias e das noites que andam comigo contemplando o mundo. Sou brumas revoadas pelo som das auroras, amanhecido de velhas histórias e delírios. O veio, o nascedouro de uma loucura, mas sou sublime se contemplares meus olhos e ouvir meus sentidos. Sou folheador de paisagens, miscigenado brasileiro da Latino América, ouvidor de marulhos e brisas, caçador de estrelas. Olhador de fogueiras, enritmado de blues, samba e versos. Sou uma deriva com porto.
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

3 respostas para Resenha – Alameda Do Bosque Azul

  1. Muito bom! Lindo e muito sensível seu blog!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s