Travessia

Agora para tudo já é tarde!

O outono revelou o seu inverno de galhadas desfolhadas

As tardes vão passando como as notas de um piano abandonado

O sol ao nascer detrás dos montes vai escondendo atrás das nuvens um calor já sem ternura

Noites e mais noites habitam nos orvalhos as escuras madrugadas congelantes das memórias e dos versos embrumados

O sangue nessas veias vai fluindo devagar  em correntes cujos peixes se aproximam ao nascedouro efetuar sua desova e ali mesmo boiar

Ah! As alegrias da infância vão renascendo nas águas

Vão crescendo e como os peixes vão nadando para o mar

Nesse mar que vai salgando, carregando tantas águas que um dia saem no olhar

E ali deitado no leito, cercado por tantos olhos que o assistiram passar

Vai o barqueiro remando por entre as águas da mata

Por entre as brumas do luar

Navegam ali talvezes, incertezas, paralelos…

E ao porto da margem oposta que todos irão chegar tem a morte inexpressiva juntando um velho no mar.

 

 

Anúncios

Sobre Poeta da Garrafa

Sou o Poeta da Garrafa. Odilon Machado de Lourenço nascido no pampa, ventado em minuanos, procurador de esmos e lonjuras. O que busca caminhos e olhos, palavras e sonhos. O que segue no claro do sol e da lua, o que navega e silencia à beleza. O que lavra a terra, águas e céu, plantador de passos, horizontes, sementes de amor e ternura. O que vai a colher miragens, tomar sombras, redemoinhar sem leme. Sou a distância dos dias e das noites que andam comigo contemplando o mundo. Sou brumas revoadas pelo som das auroras, amanhecido de velhas histórias e delírios. O veio, o nascedouro de uma loucura, mas sou sublime se contemplares meus olhos e ouvir meus sentidos. Sou folheador de paisagens, miscigenado brasileiro da Latino América, ouvidor de marulhos e brisas, caçador de estrelas. Olhador de fogueiras, enritmado de blues, samba e versos. Sou uma deriva com porto.
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

3 respostas para Travessia

  1. niasunset disse:

    Thank you for following my blogs too, sometimes I try to translate my poems to English but you know translation is not easy for poetry. But be sure, Google translate is not correct too, I mean can’t translate correctly. Love, nia

  2. niasunset disse:

    “Afternoons are passing like the notes of an abandoned piano”… I loved this expression, as I get help from Google, this is amazing poem, and of course I wished in original language. Thank you, Love, nia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s