Balneário Camboriú

Balneário Camboriú

Cidade de alturas suspensas eu caminho em sua orla

Vou indo na leitura de números emplacados de azul

Canto meu canto em seu canto cidade de alturas

Vou indo nos passos à orla molhada de azul

Sei que tijolo à tijolo ficas mais alta

Menina crescendo às ondas ventadas de azul

Vou às curvas das águas espelhando seu rosto e arranco

um sorriso em sua boca pintada de azul

Vejo o caminho de retas que vão para o céu e fito no andaime

operários vestidos de azul

Se encaro as escarpas dos morros que vejo à minha frente

Observo os lanhaços das águas golpeadas de azul

Se deixo meus pés entranharem às areias das praias

Me sinto edifício cravado elevando-se em seus olhos azuis

Navego horizontes num barco pesqueiro e aporto num sonho

de brisas que beijam minha face cravejada de azuis

Me comovo ao ver-lhe crescendo e pulando bem alto cidade de alturas

Riscando as paredes cimentadas de mangue com tintas azuis.

Poema publicado na 1° Antologia do Grupo Verbo & Maresia – Apanhador de Sonhos –BALNEÁRIO CAMBORIÚ 016

BALNEÁRIO CAMBORIÚ 017BALNEÁRIO CAMBORIÚ 063BALNEÁRIO CAMBORIÚ 018BALNEÁRIO CAMBORIÚ 020BALNEÁRIO CAMBORIÚ 042BALNEÁRIO CAMBORIÚ 043BALNEÁRIO CAMBORIÚ 064BALNEÁRIO CAMBORIÚ 044BALNEÁRIO CAMBORIÚ 045BALNEÁRIO CAMBORIÚ 046BALNEÁRIO CAMBORIÚ 054BALNEÁRIO CAMBORIÚ 055BALNEÁRIO CAMBORIÚ 059BALNEÁRIO CAMBORIÚ 069BALNEÁRIO CAMBORIÚ 070BALNEÁRIO CAMBORIÚ 009BALNEÁRIO CAMBORIÚ 010BALNEÁRIO CAMBORIÚ 040BALNEÁRIO CAMBORIÚ 011BALNEÁRIO CAMBORIÚ 013BALNEÁRIO CAMBORIÚ 062

Anúncios

Sobre Poeta da Garrafa

Sou o Poeta da Garrafa. Odilon Machado de Lourenço nascido no pampa, ventado em minuanos, procurador de esmos e lonjuras. O que busca caminhos e olhos, palavras e sonhos. O que segue no claro do sol e da lua, o que navega e silencia à beleza. O que lavra a terra, águas e céu, plantador de passos, horizontes, sementes de amor e ternura. O que vai a colher miragens, tomar sombras, redemoinhar sem leme. Sou a distância dos dias e das noites que andam comigo contemplando o mundo. Sou brumas revoadas pelo som das auroras, amanhecido de velhas histórias e delírios. O veio, o nascedouro de uma loucura, mas sou sublime se contemplares meus olhos e ouvir meus sentidos. Sou folheador de paisagens, miscigenado brasileiro da Latino América, ouvidor de marulhos e brisas, caçador de estrelas. Olhador de fogueiras, enritmado de blues, samba e versos. Sou uma deriva com porto.
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

4 respostas para Balneário Camboriú

  1. Arlinda disse:

    Mais um Lindo, Poema, Odilon!
    Parabéns!
    Sinceros votos de Sucesso, Iluminação e a Excelsa Inspiração… !!!!

  2. Cris Campos disse:

    A cidade impressiona a vista e o verso traduz o encanto.

    Belo Odilon.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s